Portugal

Green Digital e Fujifilm

Sendo que a economia global continua a gerar um crescimento exponencial de dados, com utilização intensiva de energia, a indústria de TI deve tomar medidas para reduzir a sua pegada de carbono. Existem muitas medidas que a Fujifilm tomou para cumprir os nossos compromissos com as alterações climáticas e melhorar a sustentabilidade das TI faz parte dessas medidas. A dedicação da Fujifilm à sustentabilidade começa com formas de fabrico ecológicas de armazenamento de dados - nomeadamente suportes que armazenam os seus dados e reduzem as emissões de carbono.

[photo] Green Digital e FUJIFILM

O nosso mundo cada vez mais digital

Prevê-se que as emissões de carbono aumentem, devido à energia que será necessária para suster o rápido crescimento do volumes de dados, expetável com a evolução da economia das IoT/DX. Reduzir essas emissões é uma preocupação urgente que requer uma resposta urgente.

Green Digital e Armazenamento de Dados

Em comparação com a utilização de outras tecnologias tradicionais em centros de dados (como unidades de disco rígido), o suporte de dados pode levar a uma redução das emissões de carbono de até 95%. 

[photo] Fita Green Digital e FUJIFILM

Reduza as emissões de CO2 com o armazenamento de dados

Existem diferentes formas de compensar a pegada de carbono. As empresas têm-se focado nas energias renováveis. No entanto, a conservação de energia é a forma mais económica e imediata de reduzir as emissões CO22. Quando não está a ser utilizado, o armazenamento do suporte permanece inativo numa ranhura da biblioteca ou numa prateleira, não consumindo energia, o que significa que muito menos CO2 é emitido para a atmosfera, quando comparado com outros sistemas de armazenamento de dados.

A vantagem de mover dados inativos para o armazenamento de fita

Cerca de 60% - 80% das informações armazenadas são "dados inativos", que raramente são acedidos, mas ainda têm valor e não podem ser eliminados. Estima-se que, se 60% de toda a informação armazenada no mundo fosse transferida para o armazenamento de dados, o dióxido de carbono poderia ser reduzido em 72 milhões de toneladas ao longo de dez anos.

*De acordo com um estudo realizado por Brad Johns Consulting, comparando o custo médio do disco e fita utilizados para o arquivamento ao longo de 10 anos.

[chart]Comparado com unidades de disco rígido, o suporte de dados consegue reduzir as emissões de carbono em até 95%.
[photo]Transferir Whitepaper

Descubra o papel do suporte de dados na redução do impacto ambiental do armazenamento neste whitepaper da Brad Johns Consulting. Faça o download deste whitepaper gratuito para saber mais.

Voz dos especialistas

[photo]Fred Moore, Presidente da Horison Information Strategies

"As quintas de HDD e servidores que consomem muita energia estão a forçar os centros de dados de hiperescala a mover o máximo possível de dados de baixa atividade, arquivamento e inativos para o suporte, de modo a minimizar o consumo de energia. Como resultado destas forças, o suporte tornou-se numa válvula de alívio de pressão para uma expansão de hiperescala inabalável".

 - Fred Moore, Presidente da Horison Information Strategies

[photo]Christophe Bertrand, Analista Sénior da Enterprise Strategy Group

"Como mencionei no ano passado, o suporte de dados não está morto e não irá desaparecer tão cedo. Na verdade, é muito provável que o suporte de dados se torne ainda mais popular, devido ao seu perfil de custos, eficiência energética e à sua capacidade aparentemente ilimitada de armazenar quantidades exponencialmente crescentes de dados".

- Christophe Bertrand, Analista Sénior da Enterprise Strategy Group

[photo]Brad Johns da Brad Johns Consulting LLC

"Ao identificar dados inativos e transferi-los para o armazenamento moderno de suporte de dados, as organizações podem reduzir drasticamente o consumo de energia e as emissões de carbono associadas, enquanto reduzem o capital do centro de dados e as despesas operacionais".  

- Brad Johns da Brad Johns Consulting LLC

[photo]Phil Goodwin, Diretor de Investigação do IDC

"Algumas organizações utilizam discos de baixo custo para fins de arquivamento e, embora seja menos dispendioso do que as tecnologias SSD e HDD de desempenho, é mais dispendioso do que o suporte de dados e tem um custo total de propriedade mais elevado associado à energia e ao arrefecimento".

– Phil Goodwin, Diretor de Investigação do IDC

Clique aqui para mais detalhes