Brasil
Ferrita de Bário

Ferrita de bário: Visão geral

NEW
Ferrita de Bário

A ferrita de bário (BaFe) é um novo tipo de partícula magnética que pode ser extremamente reduzida em tamanho para melhorar a densidade de gravação, sem perda de sinal magnético:

  • o LTO 7 e futuras gerações do LTO da Fujifilm utilizarão as partículas de BaFe com a tecnologia NANOCUBIC para depositar uma camada magnética fina e uniformemente revestida.
  • O BaFe já é utilizado e comprovado em produtos empresariais, como os cartuchos de fita T10000 da Oracle e 3592 da IBM.
  • Tecnologia patenteada da Fujifilm
Gráfico de pizza da Nanotech

A tecnologia NANOCUBIC é composta pelas três categorias a seguir: NANO Partícula, NANO Dispersão e NANO Revestimento.

  • Cada tecnologia passa por melhorias contínuas e refinamentos
  • BaFe é a tecnologia mais recente em NANOpartículas
Nanorrevestimento
Ferrita de bário x metal

Tamanho

As partículas de metais atuais do LTO 5 (MP (G5)) têm aproximadamente 40 nm em tamanho, enquanto as partículas de BaFe têm aproximadamente 20 nm. O tamanho menor possibilita uma densidade de gravação muito mais alta, resultando em cartuchos de dados de superalta capacidade.

Além disso, a Fujifilm teve sucesso no desenvolvimento de partículas de BaFe ainda menores e demonstrou a densidade de gravação de 123 bilhões de bits por polegada quadrada com a IBM em 2015. A demonstração aponta para a possibilidade de desenvolvimento de um cartucho de fita único, capaz de reter 220 terabytes de dados não compactados. Estas partículas de BaFe muito menores serão aplicadas para futuros produtos de BaFe.

Eixo de magnetização com camada de passivação

Formato acicular das MPs

As partículas de metal exigem um revestimento de passivação de proteção para evitar a oxidação. A camada de passivação também limita a redução no tamanho de partícula que pode ser obtido. As partículas de BaFe são óxidos, por isso, uma camada de passivação não é necessária. Partículas menores com estabilidade mais alta podem ser conseguidas com o BaFe.

Partículas de MP (G5) tem um formato acicular. As partículas de BaFe tem formato de disco hexagonal. O formato hexagonal permite o controle de orientação muito melhor e densidade de fluxo inferior, resultando em uma relação de sinal para ruído mais alta.

Magnetização sem camada de passivação

Formato de disco hexagonal do BaFe

Partícula de metal

Partícula de metal
(Liga de FeCo) LTO 5

Ferrita de bário atual

Ferrita de Bário
(BaO(Fe2O3)6 Óxido) Atual

Futuro da ferrita de bário

Ferrita de Bário
(BaO(Fe2O3)6 Óxido) Futuro

Imagem do microscópio eletrônico de varredura da superfície da fita: Partículas de MP e BaFe aparecem como revestidas no suporte da fita. Observe o tamanho relativo e diferenças de formato.

Revestimento em MP

MP (G5)

Revestimento em BaFe

BaFe

Orientação da partícula BaFe

As características das partículas de BaFe permitem um melhor controle da orientação e, portanto, uma relação de sinal para ruído mais alta (SNR). A orientação perpendicular será aplicada às futuras partículas de BaFe.

Características de gravação do BaFe

Tabela de comparação de partículas BaFe

A SNR de saída da fita de partículas de BaFe é muito melhor que a saída da fita de MP (G5), permitindo uma densidade linear e capacidade de gravação superior.

Frequência de armazenamento de dados com base em BaFe

A ferrita de bário tem características de frequência melhores quando comparado às partículas de metal, o que resulta em um aumento significativo da margem da capacidade de gravação. Por isso, espera-se que o LTO 6 da Fujifilm possa ser gravado e lido, mesmo quando a capacidade da cabeça de gravação da unidade diminui após o uso repetitivo.

Tabela de degradação de BaFe

A oxidação é uma das causas da deterioração de partículas magnéticas, com possível perda de dados. Entretanto, a ferrita de bário já está oxidada e, portanto, tem uma vida útil muito mais longa quando comparado às partículas de metal.

  • Nos experimentos da Fujifilm, o BaFe suporta simulações realistas do ambiente de armazenamento e comprova sua confiabilidade ao longo de um período maior que 30 anos.
  • As partículas de metal mostram uma leve deterioração no sinal magnético acima de 30 anos, embora isso não seja prejudicial para o desempenho da leitura/gravação.

Download de documentos